domingo, 25 de maio de 2014

Revelando a fraude em Uberaba

Luciano dos Anjos, falecido recentemente, foi um dos protagonistas das famosas "materializações de Uberaba" ocorridas em 1964. Juntamente com Jorge Rizzini, ele participou de alguns dos debates públicos contra os repórteres da revista "O Cruzeiro" que anunciavam ter desmascarado as fraudes na sessão de materialização do dia 3 de janeiro de 1964. Luciano publicou no ano passado o opúsculo "Iluminando os Bastidores" sobre as materializações e estava preparando uma parte final sobre o mesmo assunto conforme vinha me informando por email.

Desde 2008 conversava com o Luciano. Normalmente era eu perguntando sobre variados temas e ele respondendo. Em dezembro de 2010 iniciei uma conversa informando sobre o lançamento do livro "Fotógrafo dos Espíritos" do fotógrafo das materializações. Daí ele me responde:

"Espero que em algumas fotos, se incluídas, ele tenha feito as ressalvas necessárias. Por exemplo: uma delas foi motivo de aborrecimento meu com o Waldo, que entregou aos repórteres de O Cruzeiro e sabíamos que era um médium que fraudava. Fiquei indignado com o Waldo, que apenas me justificou cinicamente: “Foi junto, no meio do bolo...”"

Os médiuns principais das sessões de materialização eram Otília Diogo e Antonio Alves Feitosa. Embora imaginasse que Luciano se referia ao Feitosa (dado que usou a expressão "um médium") fiz questão de confirmar a informação. Depois de seis meses e mais de duas dezenas de emails trocados finalmente Luciano me confirma:

"[a foto] não era da Otília, mas de outro médium, que está esparramado numa cadeira, com “ectoplasma” escorrendo pela boca e narinas. Foi estampada por O Cruzeiro. Não está na jaula."

A foto a que Luciano se refere é esta:

Waldo Vieira a esquerda e Chico Xavier a direita
no centro Antonio Alves Feitosa e Irmã Josefa
páginas 11 e 12 da edição de 18 de janeiro de "O Cruzeiro"

Mas, há outra foto publicada no livro do fotógrafo Nedyr Mendes da Rocha igualmente interessante:

Antonio Alves Feitosa
página 73 de "Fotógrafo dos Espíritos"

É evidente que não precisaria do Luciano confirmar a fraude já que a foto por si só já a denuncia. A simulação de materialização de mãos usando luvas de borracha e o cordão ligando uma narina a outra são suficientes para concluir pela fraude. Porém, o testemunho ainda que tardio de alguém que protagonizou a estória tem um valor considerável.

Continuei, então, minhas perquirições a respeito deste médium. Enviei uma pergunta ao Waldo Vieira através de sua tertúlia no dia 17 de abril de 2011:

 
O médium Antônio Alves Feitosa participou de algumas sessões de materialização ao lado da médium Otília Diogo em 1963. Este médium também fraudava?
Olha, eu não tive contato com este médium. Não tenho nada para depor a favor ou contra. Não sei.

Resposta estranha pois Feitosa participou como médium principal nas sessões de materialização de novembro de 1963 sob a coordenação do próprio Waldo. Além disso, Feitosa também participou de uma sessão um dia antes da sessão com os repórteres de "O Cruzeiro". Provavelmente não participou desta sessão porque Waldo sabia que Feitosa poderia ser desmascarado pelos repórteres.

Em agosto de 2011 Luciano dos Anjos me convenceu a não divulgar esta informação sobre Feitosa até que um estudo mais abrangente fosse compilado. Segui, assim, fazendo novas indagações a ele. E, dessa forma, fiquei sabendo que Chico Xavier presenciou no apartamento de Wando, irmão de Waldo Vieira, o Luciano contestando Waldo sobre a foto do médium Feitosa ter sido disponibilizada ao "O Cruzeiro". Luciano informou também que pelo menos mais dois médicos (pesquisadores) sabiam que Feitosa fraudava, além de Chico e Jorge Rizzini.

Aguardava ansiosamente que Luciano publicasse a parte final de sua série sobre as materializações de Uberaba. Infelizmente, ele partiu antes disso. Certamente ainda tinha muito a contribuir para a história do espiritismo.

5 comentários:

  1. Olá, Vital.
    Interessante a sua revelação.
    Realmente, Luciano dos Anjos poderia ter revelado muito mais sobre as "materializações de Uberaba", mas sobre o que conhecia do Espiritismo no Brasil.
    Abraço.
    Homero.

    ResponderExcluir
  2. Olá Vital,
    Embora sempre existiram fraudes, julgo que essa foto não a caracteriza propriamente. O que parece ser luvas de borracha pode ser a formação inicial do ectoplasma, pois já vi algo semelhante. É uma hipótese. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Homero, Ivan!
    Obrigado pelos comentários.
    Ivan, de certa forma você tem razão, mas os indícios na foto me parecem relevantes para chegar a conclusão de fraude. Veja que há pelo menos três tipos de "material" expelido. Acho que seria razoável mais razoável ser apenas um. Outro indício mais relevante é o de que o material expelido pelas narinas se ligam; ou seja, é um mesmo cordão. Se fosse um fenômeno autêntico então provavelmente cada narina produziria o seu cordão.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Esclarecimento sobre o caso polêmico da revista Cruzeiro...https://www.youtube.com/watch?v=0c155294d5c

    ResponderExcluir
  5. Olá Vital! Olha, embora a crença na autenticidade de foto exija acreditar em ectoplama o que já será um grande impedimento para qualquer cético por razões óbvias, eu acho que também que, uma vez que se compreenda e acredite no processo de formação de ectoplasma, é um tanto difícil afirmar que a mão era uma luva de borracha e que o ectoplama expelido não poderia se juntar. O ectoplasma, até onde se sabe nos estudos do Espiritismo, é um material que pode ser livremente trabalhado pela espiritualidade. Na foto, o que interpreto é que o médium expeliu o ectoplasma e que esse passou a ser trabalho na formação da mão e pode naturalmente ser juntado, moldado, etc.
    Outra coisa é a presença de Chico nessas fotos. Há muitos que criticam Chico e que o julgam como uma fraude, e isso é perfeitamente natural e esperado dado que o campo que Chico lidou em toda sua vida sempre foi um solo fértil para dúvidas, desconfianças, contestações. Hoje em dia não ocorre mais esse tipo de evento e há uma explicação clara no Espiritismo para isso. Mas, independente desses eventos, quando se analisa a vida de Chico, como vioveu e para quem viveu; é dificil, para mim pelo menos, acreditar que seja uma fraude. Do mesmo modo que para muitos é dificil crer na autenticidade, para mim é difícil crer na fraude, tendo em vista a idoneidade e boa intenção questão características mais que comprovadas na personalidade de Chico. Há vários sites dna internet com textos copy-paste que relatam os eventos como farsa, mas quem são essas pessoas? QUem são esses nomes citados? Eu conheço Chico. Além disso, quem está na seara espirita, lida com fenômenos diariamente, qu o publico julgaria como "sobrenatural" ou "maravilhoso" ou "milagroso", mas essas opiniões são externas ao Espititismo. No Espiritismo não há nada de "milagroso", "maravilhoso" ou "sobrenatural" . São muitas coisas que, mesmo que você não tenha se deparado com um materialização, essas ocorrências do dia a dia e a percepção que vai se adquirindo naturalmente indicam com clareza que uma materialização é mesmo possível e a presença de Chico junto a ela de fato, a meu ver, corroba autenticidade. Mas enfim, cada um na sua jornada.

    ResponderExcluir